JEOVÁ CONTRA OS ORIXÁS: OS PROCESSOS DA VIOLÊNCIA SIMBÓLICA E A INFLUÊNCIA DA MATRIZ CULTURAL-RELIGIOSA BRASILEIRA NA INTOLERÂNCIA AOS “INDESEJADOS” DA SOCIEDADE

Altierez Sebastião dos Santos

Resumo


Diversos casos de agressão a pessoas, símbolos e locais de culto, em todo o Brasil, são indicativos de um fenômeno que somente agora mostra suas amplas proporções, que é a violência religiosa. Praticada desde a conquista dos europeus, a violência religiosa serviu ao projeto de poder imperial e como instrumento de dominação; recentemente grupos evangélicos pentecostais, baseados em interpretações fundamentalistas da Bíblia, investem contra as religiões afro-brasileiras, deturpando o patrimônio imaterial desses cultos e dando margem para a prática de agressões físicas e morais a pessoas e templos. O objetivo desta análise é ser uma contribuição, a partir das Ciências da Religião, para uma compreensão em profundidade sobre o tema. Os pressupostos teóricos do estudo levam em conta, enquanto  aspectos interrelacionados: (i) a matriz religiosa-cultural brasileira e o histórico de violência na formação do País; (ii) a violência contra os “indesejados” escolhidos pela sociedade e (iii) a violência simbólica enquanto projeto de poder de grupos religiosos. Nossa hipótese é a de que a violência religiosa, que é traço constitutivo da matriz cultural, tenha sua origem a partir desses três pressupostos. O estudo não é conclusivo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.