LIVRE-ARBÍTRIO, MORAL E RAZÃO EM DESCARTES

Daniel Luporini de Faria

Resumo


Resumo: No artigo que se segue pretende-se analisar, na primeira seção, o problema mente-corpo no contexto da filosofia cartesiana. Ao esquematizarmos as características que compõem o corpo e a mente, nos debruçaremos sobre o ponto que julgamos ser essencial na metafísica cartesiana, a saber: o (s) princípio (s) que rege (m) o funcionamento da mente; em outras palavras: a própria noção de racionalidade em Descartes. Para tanto, investigaremos o modo como esse filósofo articula em sua filosofia as noções de livre-arbítrio, moral e razão. Na segunda seção, mediante a análise de uma das características da mente ou “um dos modos de ser” do pensamento (que é o sentimento), analisaremos a singular concepção de homem na filosofia cartesiana; entendido como o único ser no qual se daria a união da mente com o corpo, bem como o único ser racional, possuidor de consciência e capaz de introspeção. Feitas tais considerações, analisaremos brevemente, em conclusão, o caso da robô Sophia, bem como a relevância do pensamento cartesiano na atualidade.

 

Palavras-chave: Livre-arbítrio. Moral. Razão. Bom senso. Critério de relevância.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.