IGREJA E ESTADO: DA SUPRESSÃO DOS PRIVILÉGIOS À CONQUISTA DA AUTONOMIA

Edmilson José Zanin

Resumo


Este texto descreve e analisa as relações entre a Igreja Católica e o Estado Brasileiro antes e depois da proclamação da República, com ênfase na separação que aconteceu com o advento da República entre Igreja e Estado, tendo como base teórico-metodológica a história política e eclesiástica. Realiza a análise a partir da discussão historiográfica entre alguns autores. Identifica e explica a perca dos privilégios da Igreja, quando unida ao Estado, mas também a autonomia que ganhou com o fim dos privilégios podendo agir sem a interferência ou coação do Estado. Analisa, como o advento da República transformou o papel da Igreja levando a Santa Sé a manter uma relaçâo normal de autonomia com a Igreja do Brasil pela primeira vez em quatro séculos de história, através da criação de dioceses, nomeações de bispos, vinda de novas ordens religiosas, comunicações diretas, reformas nos seminários e todos os outros espectos de controle institucional característico da própria Igreja de Roma. Descreve e analisa o papel da Igreja no período Imperial brasileiro, no que diz respeito ao Padroado. Investiga as idéias republicanas e as propostas republicanas para a Igreja Católica do Brasil. Caracteriza a situação da Igreja Católica depois da Proclamação da República, em 1889.

 

Palavras-chave: História. Igreja. Estado. Conflito. Poder. Rupturas.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.