PENSAR O DEUS DE KÉNOSIS EM UMA ÉPOCA PÓS-METAFÍSICA

Donizete José Xavier, Matheus Bonifácio de Souza Saldanha

Resumo


Resumo: O pensamento contemporâneo foi profundamente marcado pela crítica de Nietzsche e Heidegger às bases conceituais da filosofia ocidental. Percebe-se, em conjunto com outros pensadores, a necessidade de uma reflexão filosófica e teológica que possibilite um pensar pós-metafísico contraposto a uma ontoteologia, como problematizada por Heidegger. Nesse sentido, a hermenêutica ricoeuriana se destaca como sendo de grande utilidade nesse empreendimento, visto que nos abre espaço para pensarmos um Deus Kenótico e uma ontologia da possibilidade. Sob inspiração da hermenêutica teológica de Ricoeur, analisaremos brevemente a ontologia do nome divino e como esse pensador percebe nas narrativas e nas formas de discurso bíblicas um caminho no qual o nomear Deus se coloca como aporte para se pensar a questão de Deus de um ponto de vista tanto filosófico como teológico. Sendo assim, o objetivo deste trabalho pode ser definido pela seguinte pergunta: “é possível um pensar teológico que se direcione de forma pós-metafísica?” Nossa metodologia de trabalho será a revisão bibliográfica de textos de Heidegger e Ricoeur, assim como de outros pensadores, tendo como foco a reflexão em direção a uma teologia pós-ontoteológica ou pós-metafísica, que poderia ser caracterizada como uma teologia narrativa.

 Palavras-chave: Deus. Metafísica. Hermenêutica. Ontoteologia. Ricoeur.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.