A ÉTICA DA ALTERIDADE COMO FUNDAMENTO AOS DIREITOS HUMANOS E SUA IMPORTÂNCIA NA EDUCAÇÃO DIANTE DO SISTEMA CAPITALISTA E TOTALITÁRIO

Elton da Silva Santana

Resumo


Resumo: Este trabalho objetiva articular a alteridade como fundamento aos direitos humanos, tendo como campo de cultivo, ou melhor, como incubadora a educação. Para isso, é pretendido apresentar três pontos: o primeiro ponto será o de fazer uma análise histórica sobre os “fundamentos” da cidadania e dos direitos humanos que foram construídos a partir da Revolução Inglesa, da Independência dos EUA e da Revolução Francesa; apontando os fatores de contradição nesses eventos. No segundo, procurou-se fundamentar a questão da alteridade como sendo um valor ético fundamental aos direitos humanos, aprofundando isso a partir das reflexões do filósofo judeu Emmanuel Lévinas. E, por fim, considera-se que a alteridade deve ser cultivada, enquanto valor, dentro da educação. Por valor, entende-se a escolha que efetuamos para a afirmação da vida, numa ótica nietzschiana. Por isso, a alteridade deve ser considerada um valor, pois envolve o respeito e o reconhecimento do “Outro”. E a educação é o lugar privilegiado para a construção de valores.

 Palavras-chave: Revoluções burguesas. Liberalismo. Alteridade. Valor. Direitos Humanos. Educação.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.