E QUEM É O MEU PRÓXIMO? UMA LEITURA DE LC 10,25-37 EM CHAVE NARRATIVA

Izabel Patuzzo

Resumo


Este artigo propõe uma reflexão teológica sobre a parábola do bom samaritano (Lc 10,25-37). A metodologia adotada nesse trabalho é a análise narrativa sob a perspectiva sincrônica. A narração evangélica constitui-se não apenas em um instrumento pedagógico, mas eminentemente teológico, no sentido que narra a própria fé. As Escrituras sempre foram enfáticas da necessidade de acolher o próximo, ainda que muitas vezes isso na prática, trouxe dificuldades. Porém, a insistência sobre esse assunto na comunidade lucana resgatada através desta parábola do bom samaritano é uma nova oportunidade de se refletir à luz do passado como foi compreendida a terminologia “próximo” e faz trazer para hoje uma provocação onde nossa fé nos leve a entender que o próximo é quem precisa da nossa ajuda. Nesta mesma direção, o ministério do Papa Francisco tem nos despertado com atualizações muito insistentes de que o “próximo” conta conosco. Assim, entendemos o porquê de o papa latino-americano clamar por uma Igreja samaritana e hospitaleira, que tenha no rosto o semblante de Cristo acolhedor e cuidador.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.